Jean Wyllys garante estrutura ao HEMORIO; No Brasil, gays são impedidos de doar sangue

Na última quinta-feira (26), no mesmo dia em que o Superior Tribunal Federal (STF) adiou o julgamento da ação que pede a liberação de doação de sangue por homens homossexuais, uma emenda individual do deputado Jean Wyllys (PSOL), apresentada ao Orçamento Geral da União de 2016, tornou-se pública justamente por beneficiar um dos maiores hemocentros da América Latina, o Hemorio.

Saiba mais sobre a decisão do STF: http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2017-10/stf-adia-decisao-sobre-restricao-doacao-de-sangue-por-homossexuais

Os recursos liberados permitirá a compra de novos equipamentos para o hemocentro da Secretaria de Estado da Saúde do Rio de Janeiro, que distribui sangue para 180 hospitais públicos, incluindo as grandes emergências como a dos hospitais Getúlio Vargas, Souza Aguiar e Miguel Couto, maternidades e UTI´s neonatais.

A unidade também é um hospital de referência no tratamento de doenças hematológicas, como leucemia, anemias, linfomas, hemofilia e doença falciforme, com mais de 10 mil pacientes ativos e recebe uma média de 300 doadores por dia.

Polêmicas, as emendas parlamentares, tradicionalmente utilizadas por deputados dos grandes partidos para negociar apoio em votações, pela bancada do PSOL são aplicadas como medidas que compensam o descaso do poder público com instituições-chave para a justiça e a seguridade social.

De acordo com o deputado Jean Wyllys, as emendas propostas pelo seu mandato ao Orçamento Geral da União, “buscam atender as demandas de instituições ligadas à ciência, à educação ou à saúde, sendo a grande maioria organizações, de responsabilidade do poder público, como universidades e hospitais que atendem às populações mais pobres”.

Segundo informações do Hemorio, os valores recebidos serão utilizados para compra de:

VENUSCÓPIOS – Aparelhos portáteis que permitem que as veias que vão ser puncionadas fiquem iluminadas e perfeitamente visíveis por baixo da pele, sobretudo em crianças, e assim sejam identificadas com facilidade pela enfermeiros/médicos que vão puncionar a veia.

RESPIRADORES – Utilizados para problemas respiratórios, atualmente eles estão em quantidade insuficiente no Hemorio, sendo utilizados só para os casos mais graves, enquanto os médicos recomendam a utilização desde o início dos problemas de saúde, evitando o agravamento do quadro até que se torne irreversível.

BIPAP PEDIÁTRICOS – Aparelhos que têm como finalidade estimular a respiração e melhorar a oxigenação de crianças com infecções respiratórias, evitando muitas vezes que elas venham a necessitar de respirador. [não havia nenhum no Hemorio]

ENDOSCÓPIO – Para realização de exames de endoscopia em pacientes que precisem de diagnósticos digestivos mais seguros. [não havia nenhum no Hemorio]

SERVIDORES, COMPUTADORES, NO-BREAKS – Acelerando a manutenção de computadores e equipamentos de informática que agilizam o cadastro de possíveis doadores ou pacientes do Homorio

SELADORAS DE BOLSAS DE SANGUE E HOMOGENEIZADORES PARA A COLETA DE SANGUE – Equipamentos essenciais para coleta e armazenamento de bolsas de sangue doadas que, em maior quantidade, poderão aumentar o número de doadores no estado do Rio.

CAPELAS DE FLUXO LAMINAR – Estas capelas são dispositivos em que se manipulam quimioterápicos, de forma estéril e com proteção para os operadores. Em um hospital como o HEMORIO, são itens fundamentais para o adequado tratamento dos pacientes. [todas as antigas estavam carentes de manutenção ou obsoletas.

#

por Márcio Anastácio

PSOL Carioca

Site oficial do Diretório Municipal do Partido Socialismo e Liberdade da Cidade do Rio de Janeiro #50

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *