Cuidando de quem? Crivella cortou orçamento de prevenção a enchentes dois anos seguidos

Acompanhe a série “Cuidando de quem? Os dois anos de Crivella”

Até agora já foram confirmadas seis mortes por conta do temporal desta quarta, 6 de fevereiro. O prefeito Marcelo Crivella posa de interessado na situação das centenas de vítimas pelos danos causados pela chuva, porém há dois anos no governo da cidade e, ao contrário do que afirmou em sua campanha, ele não cuidou muito bem das pessoas que poderiam ser atingidas pelas enchentes no Rio. Crivella reduziu o orçamento duas vezes, passou verba destinada à prevenção para a publicidade e ainda fez piada com a situação calamitosa. Confira abaixo uma retrospectiva das ações do prefeito na área, em dois anos de mandato.

Novo perfil do Centro de Operações e redução do orçamento para prevenção

Em junho de 2017, o Rio passou por um temporal que arrasou casas, arrastou carros e matou pessoas. No dia seguinte, Crivella afirmou que, apesar dos transtornos, a cidade havia passado no teste. O prefeito só esqueceu de falar sobre dois pontos fundamentais: sua gestão havia mudado o perfil do Centro de Operações, deixando de focar as questões de estrutura urbana e passando às atenções para a área da segurança. Além disso, deslocou cerca de R$ 22 milhões destinados à manutenção de vias e prevenção de enchentes para fazer publicidade de seu próprio mandato.

Em audiência pública sobre o orçamento para 2018, o subsecretário de Engenharia e Conservação do município, Guilherme Campos, lamentou que o mapeamento de mais de 200 pontos de alagamento não teria serventia, afinal a retirada de recursos da área de conservação impediria o prosseguimento do planejamento e ações de prevenção. Veja o vídeo:

Meses depois, em fevereiro do ano passado, um novo temporal e os velhos problemas. Entretanto, além da redução de 37% do orçamento destinado à prevenção de enchentes para 2018, ao ser indagado sobre o assunto, Crivella, em tom de piada e desrespeitando as vítimas atingidas pela chuva, afirmou que o Rio precisava de um programa, o “Balsa Família”. Como um prefeito que iria cuidar das pessoas, além de não prestar o que prometeu, ainda dá uma declaração como essa?

Apesar dos avisos, apesar dos transtornos, Crivella preferiu continuar sua receita e diminuiu em R$ 40 milhões, ou cerca de 35%, o orçamento para prevenção de enchentes previsto para 2019. Agora, tenta se mostrar prestativo, mas como indicamos em nosso primeiro artigo da série “Cuidando de quem? Os dois anos de Crivella”o prefake já está em campanha para tentar a reeleição para o cargo. Portanto, a tendência é de que o que já estava ruim possa piorar ainda mais. Porém, a bancada do PSOL Carioca tomará providências tanto para questionar as ações da prefeitura na prevenção a novos transtornos, quanto requerer informações pertinentes do porquê da diminuição do orçamento ano a ano, se a situação se mostra cada vez pior.

Acompanhe a série “Cuidando de quem? Os dois anos de Crivella”

PSOL Carioca

Site oficial do Diretório Municipal do Partido Socialismo e Liberdade da Cidade do Rio de Janeiro #50

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *