Marcelo Crivella é um péssimo prefeito. Não teve competência para resolver a crise na saúde, não preparou a cidade para as chuvas de verão, se rendeu aos interesses da máfia dos ônibus, aumentou o caos na educação pública, deixou a cidade largada e ainda aumentou a injustiça na cobrança de IPTU.

Desde o ano passado, se multiplicam as denúncias de nepotismo, improbidade e mal uso dos recursos públicos que resultaram em dois pedidos de impeachment que, apesar de terem sido apoiados pela bancada do PSOL, foram rejeitados pela maioria da Câmara.

Esta semana, a mesma maioria que impediu a abertura de investigações em 2018, tentou mudar a legislação para tornar indireta a escolha do sucessor de Crivella no caso dele ser cassado. Ou seja, aqueles vereadores que até ontem eram da base do governo, agora aceitam derrubar o prefeito, mas apenas se eles mesmos controlarem a sucessão, retirando do povo o direito de votar. Foi contra essa manobra que a bancada do PSOL votou.

Reflita com a gente: por que a maioria destes 33 vereadores quer mudar a Lei Orgânica e tornar indireta a eleição do sucessor de Crivella em caso de impeachment? Nossa avaliação é que eles não querem melhorar a cidade, mas apenas melhorar as condições para que seus interesses e privilégios sejam mantidos. E você? Prefere votar diretamente ou deixar nas mãos dos 51 vereadores a escolha do novo prefeito em caso de impeachment? Para a bancada do PSOL, o povo deve decidir!

Tudo indica que, ao longo desta semana, chegarão à Câmara novos pedidos de impeachment do atual prefeito. Caso tenham o mínimo de materialidade, terão o apoio da nossa bancada. Crivella não tem mais condições de administrar o Rio de Janeiro. Mas, a saída dessa crise passa pelo fortalecimento da democracia e não pelo enfraquecimento da soberania popular.

Se Crivella cair, diretas já!

Executiva Municipal e Bancada do PSOL Carioca na Câmara do Rio

Vereador Babá
Vereador Leonel Brizola
Vereador Dr. Marcos Paulo
Vereador Paulo Pinheiro
Vereador Renato Cinco
Vereador Tarcísio Motta