Greve dos trabalhadores dos Correios: nota da Executiva Municipal e da Bancada do PSOL


A Executiva municipal e nossos vereadores do PSOL no Rio de Janeiro vêm a público manifestar seu apoio irrestrito à Greve Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios.

Durante a pandemia, o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional liberaram mais de um trilhão para os bancos e as grandes empresas. Agora querem que a classe trabalhadora pague a conta dessa crise por meio de privatizações, demissões, corte de salários e de direitos.

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos tem quase 100 mil funcionários e é uma empresa pública que está presente em mais de 5 mil municípios. A política do governo federal e nos últimos anos, sucateou, retirou dinheiro e o lucro que essa empresa dá para o país.

Nesse momento, Bolsonaro e a direção dos Correios querem mexer em 70 cláusulas do Acordo Coletivo da categoria. Querem reduzir a gratificação de férias, reduzir o valor das horas extras e até mesmo mexer no ticket alimentação. É bom lembrar que a maioria dos trabalhadores e trabalhadoras dos Correios recebem salário Inicial de cerca de 2 salários mínimos, enquanto a cúpula da empresa tem salários astronômicos.

Durante o primeiro dia de Greve um fato grave aconteceu! O comando da Polícia Militar impediu a utilização de carro som. Além disso, utilizaram o veículo conhecido como “Caveirão” dentro do complexo de Benfica, para intimidar os grevistas.

Repudiamos as atitudes autoritárias que tentam cercear o legítimo direito de greve, num momento em que essa categoria defende seus direitos que pretendem ser retirados. Exigimos que o Comando da PM se abstenha de praticar qualquer ato de intimidação aos trabalhadores.

Somos solidários e estaremos na luta para garantir que essa Greve tão importante saia vitoriosa.