TESE MUNICIPAL DOS INDEPENDENTES

O Rio de Janeiro, estado onde o Bolsonarismo se consolidou, talvez projete o palco mais importante das disputas municipais de 2020, que pode representar uma nova correlação de forças no cenário político. A cidade, que já tinha Crivella na Prefeitura do Rio, iniciou o ano de 2019 com Witzel governador do estado, e Bolsonaro na presidência da República. Essa conjuntura representou uma guinada à extrema direita, que vai nortear o cenário político nos próximos anos. Todas as nossas ações e posicionamentos partem da existência deste quadro de enormes retrocessos, e coloca necessidade de avançar na afirmação de um projeto progressista.

A radicalização do governo federal, sua verve totalitária e os incessantes ataques a outros poderes e instituições, transformam a cidade do rio de janeiro no epicentro político do país. Somos o domicílio eleitoral da família bolsonaro, de Rodrigo Maia, de Eduardo Cunha, entre outras figuras de grande importância no cenário político nacional. Além disso, foi durante mais de dez anos, o local em que o modelo fracassado da pujança econômica pretendida para o país, se instaurou. Pautado nos megaeventos, em que houve em grande escala a transferência do patrimônio público para a iniciativa privada e na gentrificação da cidade causada pela intensa expeculação imobiliária, o modelo personificado em Sérgio Cabral levou todo o estado do Rio de Janeiro a uma crise sem prescedentes.

O colapso na prestação de serviços públicos essenciais para a população, ao lado do desemprego recorde no país e da violência, revela o aprofundamento da crise. A ausência da presença do Estado e políticas equivocadas permitiram o crescimento das milícias, que dominam amplos territórios, ditando regras de comportamento e aumentando a cada dia sua influência em diversos campos da sociedade, inclusive na política. A morte da nossa companheira Marielle foi um crime político associado a esta escalada de poder das milícias.

A nossa bancada teve destaque na luta contra essa política de retrocessos, obtendo algumas vitórias importantes, mas precisa melhorar o enfrentamento e aglutinar, cada vez mais, aliados possíveis no campo progressista.

O prefeito Crivella está entrando em seu último ano de mandato e se movimenta para atrair Bolsonaro, que o tem prestigiado com a sua presença em eventos na cidade, mirando um eleitor conservador, aliado ao fundamentalismo religioso.

Trata-se de um governo incompetente, mal intencionado e corrupto. Não é à toa que está sendo reprovado por 72% da população, de acordo com pesquisa recente. Desse total, 68% dos cariocas reprovam o prefeito por causa da crise da Saúde. A crise na Saúde é gravíssima. O cenário é de caos, de terra arrasada e sem solução no curto prazo. O que se vê é um prefeito perdido e uma população desorientada, sendo jogada de um lado para o outro, sem acesso a serviços básicos.

A crise financeira se espalhou, afetando outras políticas públicas importantes, como as da Educação e de Transportes. Além de punir os servidores públicos, que viveram um drama no fim do ano passado, sem a garantia do 13º salário, foi incapaz de cumprir com os pagamentos dos funcionários terceirizados, principalmente na área da saúde, o que levou à crise que perdurou mais de um mês no final de 2019. Essa mesma crise pode retornar ao final de 2020, se Crivella continuar a ignorar o fato de que a demanda por saúde na cidade do Rio de Janeiro vêm crescendo ao longo dos anos, movimento contrário à redução do orçamento para a área durante os anos de sua gestão.

Esse quadro de incompetência se espalha por toda a administração. Afeta milhões de pessoas, principalmente os mais pobres. O que se verifica é a total ausência de gestão. O Rio sobrevive em estado de anomia total. Trata-se de um governo que só sobrevive graças à política de troca-troca com uma parte dos vereadores que garantiram a ele se safar de pedidos de impeachment e de sua base político religiosa já conhecida.

Em 2016, Marielle Franco, mulher negra, favelada e lésbica foi eleita com 46.502 votos, sendo a quinta mais votada no município do Rio de Janeiro. Marielle foi brutalmente assassinada no ano de 2018, mas deixou um grande legado de representatividade para mulheres negras das favelas, periferias e movimentos sociais.

A importância da visibilidade das mulheres negras é inquestionável diante da política de genocídio de Estado. A taxa de homicídio entre jovens de 15 até 29, no estado do Rio de Janeiro, retrata que de cada 10 desses jovens, 7 são negros. Mas o desafio das mulheres negras não se resume à luta por justiça: é também uma luta por espaço social e político.

As mulheres negras são a base da sociedade brasileira e movimentam 58% da economia do Rio de Janeiro, sendo economicamente responsáveis por 62% das famílias faveladas e periféricas.

Após as eleições de 2018, onde sementes de Marielle Franco foram eleitas no Brasil todo, se faz necessário e fundamental que o partido tenha espaços efetivos para expressar a representação política das mulheres negras.

Tendo em vista o silenciamento e a invisibilidade da população LGBT ao longo da história e, em especial, da política, acreditamos que seja de suma importância que lideranças LGBTs sejam incentivadas e construídas no cotidiano da militância e em períodos eleitorais. Com apoio do partido para participação em rodas de conversas, debates públicos e na construção dos diversos movimentos, não apenas em mesas que tratam da temática LGBT, possibilitando a construção de figuras públicas LGBTs. Construindo estas bases para atuação das LGBTs para dentro e para fora do partido, temos a possibilidade de construir o PSOL como principal força anticapitalista dentro do Movimento LGBT.

Na administração da cidade, estamos comandados por um prefeito ausente em suas grandes vocações nas áreas de serviço e turismo. O Rio de Janeiro sempre foi visto internacionalmente como capital da cultura brasileira. Infelizmente, temos um prefeito que odeia o carnaval e despreza a cultura, chegando ao absurdo de censurar livros na Bienal.

A questão do desemprego recorde tem impacto direto na economia da cidade e no aprofundamento da crise. Basta andar pelas ruas da cidade para encontrar famílias inteiras dormindo ao relento, sem perspectivas de mudança para uma situação mais digna. As Zonas Norte e Oeste sofrem particularmente com esse processo de deterioração, que castiga a população do Rio. Temos que dar atenção especial nessas regiões.

A precarização do trabalho só e menos sentida, visivelmente, pelo processo de uberização da economia, onde, a massa de cidadãos desempregados, têm de buscar alternativas em funções sem qualquer estabilidade ou direitos trabalhistas para sustentarem suas famílias. Essa precarização das forças de trabalho e o desemprego atingem de forma ainda mais contundente as pessoas com deficiência. É preciso, inclusive, tocar a acessibilidade de forma mais humana, menos estatística, de dentro para fora. Entender que existem diferentes graus de deficiências e que PcDs precisam fazer parte das discussões que impactam diretamente na dignidade, garantida pela Constituição, para vencer o capacitismo.

E o PSOL com isso? Este ano temos eleições. E não vai ser uma eleição qualquer. Precisamos, depois da onda da extrema direita que varreu o país, dar uma resposta política: derrotar as forças obscurantistas no Rio de Janeiro, que, inclusive estão se aproximando da extrema direita. Isso é de especial importância. E também temos que nos preparar para enfrentar forças conservadoras que tentam ressuscitar na política do Rio de Janeiro em torno da candidatura de Eduardo Paes. O modelo liberal corrupto de entrega de recursos e serviços públicos para a iniciativa privada pode vir à tona novamente, visto que a sucessão dele foi feita de maneira que cidadãos e funcionários do município têm a sensação de inexistência na gestão da cidade.

O PSOL é hoje o principal partido da esquerda. Temos quatro deputados federais, cinco deputados estaduais e seis vereadores. E temos o melhor candidato: Marcelo Freixo. Na capital, o PSOL vem crescendo a cada eleição. Temos parlamentares atuantes e representativos. Somos a principal oposição ao prefeito atual, mantendo o perfil combativo e fiscalizador que já existia na gestão anterior. Nossas críticas e apontamentos constantemente pautam o debate municipal e repercutem entre a sociedade. Temos feito um papel parlamentar importantíssimo, principalmente por conseguirmos absorver diversas demandas levantadas pelo público em geral e, efetivamente, fazer a interlocução das mesmas com o poder público. Mas precisamos continuar avançando.

Mas para tudo isso é necessário articular uma frente progressista para ganhar e colocar em prática um novo projeto para o Rio de Janeiro. Não se trata simplesmente de um agrupamento de partidos para disputar a eleição, mas sim da afirmação de um projeto político maior para mudar a política e a vida das pessoas. Derrotar os anseios fascistas da extrema direita recém- assumida, justamente no reduto eleitoral do maior representante desse grupo, é tarefa fundamental para o PSOL. Dessa maneira, podemos dar um recado eleitoral importante e efetivo para todo o país e o mundo, no sentido contrário daquele resultante do processo eleitoral em 2018.

 

Desafios para o partido

O PSOL se afirmou como o principal partido de esquerda no Rio de Janeiro. Suas bancadas são numerosas e muito atuantes. Porém o partido não acompanha politicamente esse crescimento. Somos um partido que vem se destacando no cenário político do Rio de Janeiro. Mas não estamos ainda conseguindo ter uma atuação à altura de nossas responsabilidades. A direção partidária tem como dever acompanhar politicamente as reuniões regulares dos vereadores e assessorias.

A gestão do partido, para alcançar a legitimidade, a representatividade e a eficiência esperadas, demanda o compromisso coletivo das variadas tendências do PSOL na realização das tarefas necessárias. Não podemos achar que o simples crescimento do número de membros nas direções vai se reverter em eficiência para o conjunto do partido ali representado. Por isso é salutar que os quadros políticos que se comprometam com a direção partidária estejam constantemente preocupados com a rotina do partido, assumindo tarefas institucionais independentemente das tendências que fazem parte. “Vestir a camisa” do PSOL, sem levar em conta a corrente em que milita, deve ser prioritário para a diretoria eleita no congresso municipal.

Na crise hídrica estadual da Cedae, podemos afirmar que não conseguimos agir organizando a grande indignação da população do Rio de Janeiro. Temos uma direção muito pulverizada. Nesse próximo congresso, a despeito de diferenças que existem, temos que pensar em consolidar um projeto de direção que dê conta da complexidade do cenário político, e que tenha a devida responsabilidade institucional, à altura da importância do principal partido de oposição num dos principais centros políticos do país. Temos também que disputar as eleições com todo o empenho para a Prefeitura do Rio, procurando ampliar e qualificar cada vez mais a nossa bancada.

Para isso, precisamos do PSOL unido em torno das políticas públicas necessárias para as transformações sociais que almejamos. A redução das desigualdades e a promoção da justiça social passam pela organização institucional do partido. Essa tarefa demanda responsabilidade dos quadros de direção do partido, inclusive e, principalmente, nos momentos em que as divergências internas vêm à tona. Se temos objetivos em comum para a transformação social, não podemos agir de maneira que os entendimentos do partido sejam desprezados.

No entanto, devido ao momento histórico pelo qual estamos atravessando, incluindo a ascenção de um neoliberalismo econômico e fascista nos costumes, surge a necessidade de ampliarmos nosso campo de alianças, com o objetivo de derrotar o projeto bolsonarista e suas adjacências em seu próprio território de origem. Para esta tarefa, que não é nada simples, se faz fundamental a existência de objetivos bem delineados para a Prefeitura que desejamos alcançar. Temas como a valorização dos serviços e dos servidores do município, responsabilidade na organização do orçamento municipal, capacidade de diálogo com o poder legislativo, entre outros, são essenciais para o triunfo numa possível experiência do PSOL Carioca no poder público municipal.

 

Assinam esta tese:

  1. Marcelo Freixo
  2. Renata Souza
  3. Eliomar Coelho
  4. Paulo Pinheiro
  5. Marcos Paulo Costa Da Silva
  6. Chico Alencar
  7. Milton Temer
  8. Mozart Noronha
  9. Leo Lince
  10. Andrea Cassa
  11. André Barros
  12. Iuri Figueira
  13. Vera Siqueira
  14. Ricardo Augusto Saboya
  15. Valéria Henningsen
  16. Júlia Henningsen
  17. Renato Jefferson De Oliveira
  18. Marcos Lopes Ribeiro
  19. Tiago Pinto Prata
  20. Telma Lucia Pinto Da Silva
  21. Alan Maia
  22. Elyo Raimundo Moreira
  23. Joaquim Ribeiro
  24. Davidson Lima Lisboa
  25. Carlos Frederico Dos Santos
  26. Walter Macedo Do Espirito Santo
  27. Cristina Gimenez Cortez Diniz
  28. Eliza Coelho Dos Santos Guimarães
  29. Lucas Santos Oliveira De Souza
  30. Fabricio Rodrigues Cunha
  31. Maria Leal Bittencourt
  32. Marcello Betzler  Simão
  33. Denis Neves
  34. Davison Coutinho
  35. Luciano Oliveira De Souza
  36. Luiz Marques Da Silva Neto
  37. Marco Antonio Da Silva
  38. Romário De Souza Saraiva Martins
  39. Caio Brito Dos Santos
  40. Adeir Leodorio De Oliveira
  41. Aladin Moreira Rocha
  42. Alexandra De Oliveira Da Silva
  43. Alexandre Moreira Da Silva
  44. Ana Lucia Clemente
  45. Ana Paula Clemente Machado
  46. Anderson Toso De Medeiros
  47. Andre Luiz Dos Santos Barroso
  48. Andre Lyrio Pedro
  49. Armando Silva
  50. Beatriz Santana Dos Santos
  51. Bruno De Araujo Silva
  52. Camila Rodrigues Estrela
  53. Carlo Wagner Santos
  54. Carlos Eduardo Da Silva Ferreira
  55. Cristiane Coelho Diogo
  56. Daniel Moura Aragão
  57. Dilcea Maria Ferreira
  58. Dirceu Santos Neto
  59. Eliane Calixto
  60. Elizabethe Ribeiro Cabral
  61. Elma Pereira Nacife
  62. Flavio Jacomo
  63. Georgia Thais Lima Cordeiro
  64. Gilberto Rodrigues Simoes
  65. Gislene Gomes Caju
  66. Isabele Machado Dos Santos
  67. Ismael Golveia Lopes Da Silva
  68. João Batista Ferreira De Mendonça
  69. João Bezerra De Souza Neto
  70. Job Barreto Junior
  71. Jorge Luiz Lopes Da Cunha
  72. Jorge Machado
  73. Jorge Vieira Da Silva
  74. Jose Perira Neto
  75. Jose Renato Da Costa Villamil
  76. Leda Lopes Brochado
  77. Lennon Lopes Ribeiro Correa
  78. Livia De Castro Dias Da Silva
  79. Luciana Ferreira Brito
  80. Luzia De Fatima Machado
  81. Marcelle Vieira Da Silva
  82. Marcia Angelica Silva Macedo
  83. Marcia Rodrigues Marques
  84. Maria Aparecida Da Silva Oliveira
  85. Maria Iza Ferreira Dias
  86. Marilia Augusta Dos Santos Carvalho
  87. Marisa Fernades Palmeira
  88. Marlucia De Amaral Aquino
  89. Mauricio Augusto De Lima
  90. Mrlene Lyrio Pedro
  91. Nancy Silva De Oliveira  Soares
  92. Andreia Ferreira Ribeiro Da Silva
  93. Paulo Teixeira Junior
  94. Pedro Villamil
  95. Pitussa Da Costa Villamil
  96. Priscila Dos Santos Simoes
  97. Robson Rodrigo Coutinho Santos
  98. Romulo Rafael Ribeiro Paura
  99. Rubens Adalto Quintella
  100. Sandra Da Silva Miranda
  101. Sidney Ribeiro
  102. Sonia Da Silva Martins
  103. Valeria Diogenes Castro
  104. Vanderlei Lima Faria
  105. Vania Lopes Ribeiro De Lima
  106. Vera Lucia Peixoto Villamil
  107. Vilma Lopes Ribeiro
  108. Vinicius De Souza Teixeira
  109. Vinicius Ribeiro De Lima
  110. Hugo Garcia Lelles
  111. Mario Carnevale Filho
  112. Dirson De Carvalho Santos
  113. Moacir Costa
  114. Pedro Henrique Da Rocha Silva
  115. Orlando Caldeira Dos Santos
  116. Ana Lucia Da Rocha Silva
  117. Vania Alves Teixeira
  118. Marco Antonio Domingos Dos Santos
  119. Eduardo Augusto D. Botelho
  120. Luis Henrique Vieira De Rezende
  121. Heny Vanzan De Almeida
  122. Carlos Alberto Ferreira Lima
  123. Amélia Maria Da Silva Lima
  124. Beatriz  Alves Dos Santos
  125. Perla Do Nascimento Correia
  126. Débora De Oliveira Lima
  127. Walmir Gomes
  128. Tayna Lima
  129. Daniela Aguiar
  130. Luan Da Silva Lima
  131. Glauber Silva Brito
  132. Yan Carlos Da Silva Lima
  133. Ivonete Ferreira Lima
  134. Sandra Candido
  135. Eduardo Ferreira Lima
  136. Aline Queiroz
  137. Jose Vitorio Lacerda Dos Santos
  138. Nelia De Paula
  139. Sergio De Assis De Paula
  140. Luiz Fernando De Souza Rodrigues
  141. Ailton Aristoteles Costa Ferreira
  142. Julia Lobato Mota
  143. Diva Jose Vieira
  144. Dalva Santos Roque
  145. Thales Geraldo A De A Goes
  146. Lidiane Das N. Souza
  147. Emerson Da Costa Fernandes
  148. Edison De Souza Neves
  149. Eidibal Neves
  150. Alzira De Sousa Neves
  151. Aliete Assunção Ferreira
  152. Almerinda Assunção Costa Ferreira
  153. Anataly Assunção Ferreira
  154. José Carlos Natal De Moraes
  155. Paulo Henrique Bernardinho
  156. Wallace Roque Ferreira Dos Santos
  157. Leoncio Oliveira De Sá Leitão
  158. Leandro De Oliveira De Sá Leitão
  159. Antonio Carlos De Sá Leitão
  160. Lourenço Borges
  161. Antonio Florencio
  162. Josenilda Domingo Cunha
  163. Jorge Miranda Dos Santos
  164. Marileia Pereira Costa
  165. Clovis Carneiro Da Silva
  166. Anete Ribeiro Lessa
  167. Sonia Maria Ferreira Da Silva
  168. Acyr Da Silva Proença
  169. Alda Baracho Figueira
  170. Matheus Henrique Bow Marone Cruz
  171. Lais Vicência Sudré Bezerra
  172. Rosane Cristina Pessanha Sudré Maceto
  173. Jandira Alves De Oliveira
  174. Damião Balbino
  175. Michael Da Costa Gomes
  176. Almir José Da Conceição
  177. Claudia Baracho Figueira
  178. José Eduardo Alves Casaes
  179. Bruno Da Costa Villaverde
  180. Cristiane Da Costa Neves
  181. Klebson Janio Cardoso Da Silva
  182. Marta Soares Da Costa Villaverde
  183. Carlos Henrique De Mileira
  184. Pedro Jairo De Oliveira Ferreira
  185. Vera Lúcia Soares Viana Vargas
  186. Elaine Vitória Da Silva Barbosa
  187. Edicleia Ribeiro Dos Santos
  188. Jefferson Fernandes Da Silva
  189. Andre Vissoto Louback
  190. Cristiane Cardoso Gonçalves De Lurdes
  191. Hermano Albuquerque De Castro
  192. Vanessa Matos Leal
  193. Jardel Da Silva Rocha
  194. João Victor De Moura Da Silva
  195. Paulo De Souza Junior
  196. Raphael Mendonça De Souza
  197. Janete Barbosa Moreira
  198. Washington Luiz De Souza Campos
  199. Valéria Da Conceição
  200. Sidney Martins Ferreira
  201. Elenilso Gomes
  202. Francisco Pereira Barbosa
  203. Washigton Luiz Carneiro Ferreira
  204. Vanessa Silva Lourenço
  205. Maria Da Conceição Oliveira
  206. Walter Albuquerque De Castro
  207. Josué Mariano Santos
  208. Gustavo Cardoso De Sá Ribeiro
  209. Paula De Oliveira Almeida
  210. Alexsandro Luiz De Lima Coelho
  211. Bianca Valente Moreira
  212. Vinicius Igor Mello Alves Silva
  213. Pedro Alves Ferreira
  214. João Paulo Tapioca De Oliveira Vieira
  215. Thais Correia De Holanda Santana
  216. Jose Augusto Pereira Torres
  217. Alba Regina Ignácio De Oliveira
  218. Sandra Maria Vasconcelos Lacerda
  219. Ricardo Garcia Pereira
  220. Thomas Alves Miranda
  221. Pedro Paulo Lisboa De Souza
  222. Gabriel Frota Leal Borges
  223. Luis Fernando Araujo Correa
  224. Carlos Eduardo Ribeiro Da Silva
  225. Alexandre Rodrigues De Miranda
  226. Fernando Rodrigues Euzébio
  227. Antonio Roberto Minhões Dias
  228. João Carlos Da Costa Muniz
  229. Enita Da Costa Neves
  230. Luci Ramos Privat
  231. Edilson De Souza Lima
  232. Sergio Siqueira Coelho
  233. Marcia Beatriz Mendes Da Silva Costa
  234. Mauro Carvalho Bandeira De Mello
  235. Roberto Aguillar Costa
  236. Orlando Roberto Matias Dias
  237. Maria Júlia Bressan
  238. João Marques Da Cruz Filho
  239. Antonio Gaspar De Gouveia
  240. Rafael Pollo Flores De Sá
  241. Ligia Guedes De Mello Figueiredo Dias
  242. Maria Do Perpétuo Socorro Lima Martins
  243. Fernando Maciel Baptista
  244. Mauricio Avelino Ferreira
  245. Alessandra Alves Portilho Bentes
  246. Jose Fernando Da Silva Gomes
  247. Dimas Faustino Cavalcanti Da Silva
  248. Francisco Carlos Dos Santos
  249. Alda Terezinha De Carvalho
  250. Patricia Canto Ribeiro
  251. Isabela Canto Ribeiro Monteiro De Barros
  252. Tiago Gondra Nunes
  253. Fernando Fernandes De Almeida Junior
  254. Benedito Muniz Do Nascimento
  255. Carlos Cesar Pereira De Oliveira
  256. Francis Da Silva Villaverde
  257. Carlos Alberto Villaverde
  258. Jacira Alves De Oliveira
  259. Paulo Cesar Rogero Junior
  260. Brando Motta De Oliveira
  261. Isa Amélia Santos
  262. Joseli Da Silva
  263. Clara Fatima Gomes Minhões
  264. Tatiana Figueiredo Moreira
  265. Dayse Maria Da Silva
  266. Vera Elena Oliveira Coelho
  267. Andrea Gomes Macedo Zine
  268. Leandro Velloso Ferreira
  269. Deborah Cristina Da Silva
  270. Valdiney De Almeida Matos
  271. Edna De Almeida Matos
  272. Julio Cesar Barbosa Trindade
  273. Marinalva Florenço
  274. Avani De Freitas Sebastião
  275. Carlos Alberto Ferreira
  276. Jaqueline Ferreira Marques
  277. Elias Antônio Da Silva
  278. Mario Costa Lessa
  279. Janaina Da Silva Schimindt
  280. Barbara Oliveira Da Silva
  281. Deivide Leandro
  282. Andressa Oliveira Do Rosário
  283. Rosemary Alves Casaes
  284. Ivan Franklin Correia Neto
  285. Thiago Correia De Holanda Santana
  286. Celia Maria Soares
  287. Jonas Pena Da Costa
  288. Nazareno Ribeiro Lessa
  289. Claudionora Barbosa Da Silva
  290. Jefferson Vieira Da Conceição
  291. Salete Ferreira Brito
  292. Cadija Da Silva Costa
  293. Gilson Gonçaves Correia
  294. Leonam Estrella Figueiredo
  295. Raul Victor Gonzaga De Souza Maia
  296. Honder João Bressan Wellisch
  297. Vitor Iorio
  298. Fábio Mário Iorio
  299. Thalia Andrade De Aguiar
  300. Maria Clara De Miranda Iorio
  301. Maria Isabel De Miranda Iorio
  302. Maria Julia Goldwasser
  303. Mario De Oliveira